Estudantes premiados pela Alepe e Secretaria de Educação vão conhecer sedes dos Poderes em Brasília

Em 13/09/2022
-A A+

A cultura do nosso País é desconhecer a própria política. Lembra aquele velho ditado popular que diz que ‘Política não se discute’. Mas, com a Educação, é possível reverter esse cenário e discutir, participar e, mais do que isso, fiscalizar. Foi aprofundando essa linha argumentativa que a estudante Blenda Conceição Souza de Oliveira, da Escola Técnica Jurandir Bezerra Lima, do município de Igarassu, Região Metropolitana do Recife, conquistou o primeiro lugar em um concurso de Redação que teve a participação de 1.480 estudantes do Ensino Médio de todas as regiões do estado.

Na iniciativa, uma parceria da Assembleia Legislativa de Pernambuco com a Secretaria Estadual de Educação, todos escreveram sobre o tema “A importância do Poder Legislativo para o exercício da Cidadania”. Foram 16 os premiados, um para cada Gerência Regional de Educação. Eles foram apresentados, nesta terça, em evento que reuniu gestores, professores, estudantes e parlamentares, no Auditório Sérgio Guerra, na Alepe.

O concurso movimentou escolas de todo o Estado, desde o primeiro semestre letivo. Os 16 estudantes vencedores ganharam um certificado e um smartphone. Além do aparelho, os três primeiros colocados terão direito a uma experiência que certamente nunca vão esquecer: seguem nesta quarta para uma viagem a Brasília, onde vão conhecer a Câmara dos Deputados, o Senado Federal, o Supremo Tribunal Federal e o Palácio do Planalto, acompanhando o funcionamento dos três Poderes.

Junto com Blenda, a primeira colocada, irão a Brasília Antônio Vinícius de Oliveira Barbosa, da Escola de Referência Governador Barbosa Lima, do Recife, que ficou na segunda colocação; e Laysi Iasmin de Araújo Souza, da Escola de Referência Clementino Coelho, de Petrolina, no Sertão, premiada em terceiro lugar. Laysi Iasmin não escondeu a satisfação com o prêmio, e defendeu que os jovens fiquem mais ligados à política, para que possam exercer plenamente sua cidadania: “Eu acho que a princípio é de suma importância a inserção do jovens na política, pra que já desde o início a gente consiga  exercer nosso direito de cidadão, juntamente com o papel do Poder Legislativo, que é viabilizar e supervisionar  as leis que vai ser exercido,  pra que a gente possa também ter nossos direitos e deveres como cidadão”. 

O presidente da Alepe, deputado Eriberto Medeiros, do PSB, destacou a importância do Legislativo criar pontes com outros Poderes, órgãos e instituições, em seu trabalho de “porta voz” da população. E lembrou projetos lançados neste sentido, como o Alepe nos Municípios e o Lideralepe, afirmando que a parceria com a Educação reforçou ainda mais esta linha. Já o secretário estadual de Educação, Marcelo Barros, ressaltou que a premiação desta terça  trouxe muito estímulo à rede escolar e tem um valor precioso para a democracia:

Foi um concurso que movimentou toda a rede estadual, importante esse debate, essa reflexão sobre o papel do Poder Legislativo, principalmente neste momento, quando a gente vai ter em breve uma grande festa da democracia. Além do mais, o estímulo também à leitura, à escrita, diminuir um pouco esse mundo virtual para que nossos estudantes também escrevam à mão, fazer essas redações que foram tão bonitas e terminaram com essa premiação”.

A solenidade com estudantes e gestores da Educação na Alepe, nesta terça, reforçou sim a importância da democracia. Como também a de que os jovens devem estar juntos nesta trilha, onde  se inserem os Poderes – o Legislativo entre eles  – como sugere a linha de argumentação da estudante Blenda, que explicou assim seu texto premiado: “Eu já tinha uma ideia antes, mas  quando eu vi o tema eu fui me aprofundar e tudo mais sobre a função de cada um, e a minha principal tese na redação argumentativa  foi de que justamente isso,  a sociedade hoje em dia não conhece e não tem a cultura de fiscalizar, de ir atrás, de buscar esse tema, por isso eu achei muito importante. E eu acho que a gente deveria ser mais presente no meio legislativo, por exemplo”.