Ciência e Tecnologia discute carência de mão de obra para setor tecnológico

Em 09/04/2019 - 15:04
-A A+
Comissão de Ciência e Tecnologia

CAPACITAÇÃO – De acordo com a presidente da Comissão, deputada Fabíola Cabral, é preciso encontrar soluções para o problema. Foto: Neto Lima

A Comissão de Ciência e Tecnologia debateu, nesta terça (9), a falta de qualificação profissional dos pernambucanos nas áreas de tecnologia e informática. O diagnóstico do déficit de mão de obra foi constatado em visita realizada pelo colegiado à sede do Porto Digital, no último dia 21 de março. Na ocasião, o presidente-executivo do parque tecnológico, Pierre Lucena, informou que há 900 vagas de emprego ociosas nas 300 empresas que compõem o Porto Digital. Os cargos deverão ser ocupados por profissionais de outros Estados, uma vez que não há pessoas com a formação necessária em Pernambuco.

De acordo com a presidente da Comissão, deputada Fabíola Cabral (PP), é preciso encontrar soluções para o problema. “É uma preocupação nossa porque temos 17% de índice de desemprego e 900 vagas à nossa disposição que deverão ser preenchidas por pessoas de outros Estados. Isso é algo que me incomoda e, como presidente do colegiado, coloquei-me à disposição para encontrar uma forma de  capacitar nossos jovens.”

O deputado Antonio Fernando (PSC) sugeriu que disciplinas de programação e robótica sejam incluídas nos currículos das escolas técnicas e nas unidades de ensino de tempo integral de Pernambuco. Está prevista a realização de uma audiência pública sobre o tema, a ser promovida pela Frente Parlamentar que trata dos impactos da Quarta Revolução Industrial em Pernambuco. Na reunião desta terça, a Comissão distribuiu cinco projetos para relatoria. Os deputados também definiram que as próximas reuniões do grupo irão ocorrer sempre às terças-feiras, quinzenalmente.