Brasão da Alepe

PROJETO DE LEI ORDINÁRIA 1838/2021

Declara o livreiro Tarcísio Pereira Patrono da Leitura Pernambucana.

Texto Completo

Art. 1º Fica o livreiro Tarcísio Pereira declarado Patrono da Leitura Pernambucana.

Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Justificativa

Trata de honraria póstuma que homenageia o livreiro potiguar Tarcísio Pereira, fundador da Livro 7, instalada no centro do Recife, em 1970, maior livraria nacional em tamanho e exemplares (60 mil), reconhecida pelo Guinness Book.

Nos idos de 1990, Tarcísio Pereira foi congratulado pela Academia Brasileira de Letras com o Mérito Cultural pela Divulgação da Literatura. A livraria chegou a abrir filiais em Alagoas, Paraíba e Ceará.

A sede da Livro 7 funcionou até 2000, abrigando lançamento de livros, seminários e encontros literários. O livreiro dedicou sua vida ao conhecimento e a cultura, abrindo espaço para consagrados e novos escritores, movimentando a cena cultural de Pernambuco. Recebendo a presença de grandes nomes como Osman Lins, Gilberto Freyre, Ariano Suassuna, César Leal, João Cabral de Melo Neto, Ferreira Gullar e Eduardo Galeano.

Além de referência para a intelectualidade pernambucana, era um ponto turístico da cidade. Muitas pessoas iam à livraria só para conhecê-la e serem fotografadas junto ao seu acervo com cavaletes e estantes, ocupando um espaço de 1.200 m².

A Livro 7 ajudou a formar uma geração de leitores pernambucanos, que puderam ter acesso a livros diversos, graças ao amor pela cultura e pela literatura de Tarcísio, adquirindo-os para suas bibliotecas particulares, ou simplesmente tendo a oportunidade de ler as obras de sua preferência ali mesmo na livraria. Muitos estudantes usaram a Livro 7 como uma biblioteca pública, pois tudo ficava a mostra, sem que fosse necessário adquirir exemplar. 

Pelas 3 (três) décadas que funcionou, era um ponto de encontro de estudantes, intelectuais, músicos, artistas plásticos e cineastas. Sendo pioneira em conceitos atualmente utilizados por grandes livrarias, como espaços amplos, cadeiras para leitura, além de diversos eventos culturais e noites de autógrafos, fazendo jus ao que a Revista Manchete chamou de “o primeiro shopping cultural do Brasil”.

O maior lançamento na Livro 7 foi o do escritor americano Sidney Sheldon. Na ocasião, foram vendidos 940 livros. Os pioneiros a lançarem suas obras, na livraria, foram Hermilo Borba Filho, Antônio Torres, Nagib Jorge Neto, José Mário Rodrigues e Joaquim Cardozo.

Atualmente, Tarcísio Pereira chefiava a Superintendência de Marketing da Campainha Editora de Pernambuco (Cepe).

Diante do exposto, e do que fica no imaginário coletivo da intelectualidade pernambucana até os dias de hoje, peço aos demais pares o voto pela aprovação deste Projeto, pela dupla valorosa homenagem ao lendário livreiro e ao complexo cultural que foi a Livro 7.

Histórico

[15/04/2021 16:28:24] EMITIR PARECER
[16/04/2021 14:03:37] AUTOGRAFO_CRIADO
[16/04/2021 14:04:11] AUTOGRAFO_ENVIADO_EXECUTIVO
[23/02/2021 10:18:51] ASSINADO
[23/02/2021 10:23:37] ENVIADO P/ SGMD
[24/02/2021 20:28:37] ENVIADO PARA COMUNICAÇÃO
[25/02/2021 15:19:34] DESPACHADO
[25/02/2021 15:19:55] EMITIR PARECER
[25/02/2021 17:14:59] ENVIADO PARA PUBLICAÇÃO
[26/02/2021 11:39:21] PUBLICADO
[29/04/2021 11:38:42] AUTOGRAFO_SANCIONADO
[29/04/2021 11:38:59] AUTOGRAFO_TRANSFORMADO_EM_LEI





Informações Complementares

Status
Situação do Trâmite: AUTOGRAFO_SANCIONADO
Localização: SECRETARIA GERAL DA MESA DIRETORA (SEGMD)

Tramitação
1ª Publicação: 26/02/2021 D.P.L.: 14
1ª Inserção na O.D.:




Documentos Relacionados

Tipo Número Autor
Parecer FAVORAVEL 5012/2021 Aluísio Lessa
Parecer FAVORAVEL 5135/2021 Romero Sales Filho
Parecer FAVORAVEL 5123/2021 Romário Dias
Parecer REDACAO_FINAL 5331/2021 Guilherme Uchoa