Ações educativas marcam ano da Comissão de Meio Ambiente

Em 13/01/2021 - 10:01
-A A+

TRABALHO REMOTO – “Aprovamos o dobro de projetos em comparação a 2019. A pandemia obrigou a gente a se reinventar”, frisou Wanderson Florêncio. Foto: Nando Chiappetta

O desfile do Galo da Madrugada no Carnaval de 2020 contou com uma novidade. Por meio de uma parceria inédita entre a agremiação e a Comissão de Meio Ambiente da Assembleia, a alegoria de abertura teve a sustentabilidade como tema. Essa foi uma das ações em que o colegiado se fez presente no ano passado, visando contribuir com a defesa das causas ambientais em Pernambuco. Além de eventos externos, ocorreram 12 reuniões para análise técnica de proposições. Das 63 matérias recebidas, 36 foram aprovadas.

A participação do grupo parlamentar no Desfile do Galo Sustentável foi além da fantasia. Os integrantes e a equipe técnica promoveram um trabalho de educação entre os foliões, com o objetivo de reduzir os impactos ambientais. Também houve estímulo e valorização da atividade realizada pelos catadores de materiais recicláveis, que recolheram o lixo descartado nas ruas. 

Outros três eventos contaram com a participação do presidente da Comissão, deputado Wanderson Florêncio (PSC), como convidado. A live Papo Sustentável, que ocorreu em junho, com o tema “O papel do Legislativo na proteção ambiental”, foi uma delas. Em julho, o parlamentar integrou a Roda de Debates Antinucleares – Conexão Virtual Antinuclear. E, nesse mesmo mês, esteve em outra discussão remota para tratar das ações da Alepe relativas à sustentabilidade.

O debate de projetos de lei (PLs) movimentou o colegiado. Alguns deles tinham como finalidade o enfrentamento ao novo coronavírus, a exemplo do PL nº 1195/2020, de autoria da deputada Alessandra Vieira (PSDB). O texto estabeleceu normas para o correto descarte de máscaras e outros equipamentos de proteção individual. Já o Projeto de Lei nº 1066/2020, apresentado pelo deputado Romero Albuquerque (PP), determinou que fosse realizada análise para detectar a presença de agrotóxicos nas águas sob domínio estadual e naquelas destinadas ao consumo humano.

“Vivemos uma situação inédita em 2020, mas conseguimos realizar um bom trabalho na Comissão de Meio Ambiente, graças aos esforços dos parlamentares e dos técnicos da Casa. Aprovamos o dobro de propostas em comparação a 2019.  A pandemia obrigou a gente a se reinventar. Com isso, aumentamos nossa produtividade, por meio do trabalho remoto, e discutimos mais iniciativas para que Pernambuco se desenvolvesse de forma mais sustentável”, frisou Wanderson Florêncio.