Antônio Moraes defende ciência e isolamento social

Em 21/05/2020 - 12:05
-A A+

DISPUTA – Parlamentar criticou líderes mundiais que têm tratado a questão de maneira política, e não científica. Foto: Reprodução/Nando Chiappetta

O deputado Antônio Moraes (PP) usou o pronunciamento, na Reunião Plenária desta quinta (21), para defender o isolamento social como a medida mais eficaz para frear o contágio pela Covid-19. Ele citou os bons resultados alcançados por Portugal e Grécia, países que adotaram a ação de maneira eficaz e já começam a flexibilizar a quarentena. Em contrapartida, criticou líderes mundiais que têm tratado a questão de maneira política, e não científica.

“No Brasil, chegamos a 60 dias de um isolamento feito de forma confusa, que fica no meio termo por conta de disputa política. E por isso, com quase 20 mil mortes já registradas, ainda não chegamos ao pico de contágio”, lamentou o parlamentar, que acredita que os prejuízos econômicos serão maiores por conta da ineficiência do confinamento. “Muitas mortes e danos sociais poderiam ter sido evitados no País se tivéssemos cumprido, desde o início, o que a ciência tem orientado”, acrescentou.

Moraes lamentou, ainda, a politização do debate a respeito do uso da cloroquina no tratamento dos pacientes com Covid-19. “É uma questão lógica. Se o medicamento fosse comprovadamente eficiente, países ricos e avançados na ciência, como Estados Unidos, França e Espanha, já haveriam adotado e não teriam visto tantos cidadãos morrerem”, alegou.

O deputado aproveitou o pronunciamento, por fim, para parabenizar os procuradores municipais do Recife, categoria homenageada no dia 27 de maio, conforme Lei Municipal nº 18.302/2017.