Alepe celebra 50 anos de fundação do Serviço Geológico do Brasil

Em 02/12/2019 - 21:12
-A A+
12-02-solene-ja-78

PESQUISA – Órgão vinculado ao Ministério das Minas e Energia foi homenageado por solicitação do deputado Henrique Queiroz Filho. Foto: Jarbas Araújo

O Serviço Geológico do Brasil/Companhia de Recursos de Pesquisas Minerais (SGB/CPRM) é uma empresa pública vinculada ao Ministério das Minas e Energia cuja missão é gerar e disseminar conhecimento geocientífico. O órgão completou 50 anos em 2019 e a data foi celebrada, nesta segunda (2), pela Assembleia Legislativa em Reunião Solene proposta pelo deputado Henrique Queiroz Filho (PL).

Desempenhando projetos e ações nas áreas de geologia, recursos minerais, hidrologia, gestão territorial, inovação tecnológica e governança corporativa, o SGB/CPRM teve como primeiras atividades o mapeamento geológico do País. Logo em seguida, monitorar os recursos hídricos tornou-se parte importante das atividades da empresa.

Em cinco décadas, uma ampla gama de investigações científicas foi desenvolvida em apoio às políticas públicas voltadas à pesquisa mineral, à gestão de recursos hídricos, ao uso e conservação dos recursos naturais e à proteção da população contra desastres naturais.

Nos últimos anos, a CPRM desenvolveu pesquisas em recursos minerais estratégicos, além de estudos sobre remineralizadores de solo a partir de rejeitos de mineração. Em 2019, a atuação da empresa foi marcada por duas ações: estudos geológicos que explicam o fenômeno do afundamento de três bairros em Maceió e o monitoramento e previsão do deslocamento da pluma de lama do rompimento da Barragem Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG).

“Nas cinco décadas de existência, o órgão pesquisou reservas de potássio, fosfato, grafite, lítio e cobalto. O trabalho continua, e novos estudos vão consolidando a posição do Brasil como grande produtor de minérios no cenário mundial”, pontuou o deputado Sivaldo Albino (PSB), que presidiu a cerimônia.

Henrique Queiroz Filho afirmou que a missão do CPRM vai além da identificação do potencial mineral para geração de riquezas. “A empresa tem o objetivo de gerar e disseminar conhecimento geocientífico com excelência, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida e o desenvolvimento sustentável do País”, salientou.

O superintendente regional da empresa no Recife, Vanildo Mendes, recebeu uma placa comemorativa da Alepe. Ele agradeceu, ressaltando que, ao longos desses 50 anos, o CPRM conseguiu fazer muito com poucos recursos. “Ficamos gratos com esse reconhecimento. Estamos descobrindo que Pernambuco não tem um subsolo pobre, como se pensava, e que o Estado precisa ser melhor estudado”, frisou.

Durante a cerimônia, Henrique Queiroz Filho também concedeu placas alusivas à data a engenheiros e geólogos (alguns in memorian) que passaram pela empresa.