Juntas pedem realocação de feirantes do Beco da Colônia, em Jaboatão

Em 28/11/2019 - 14:11
-A A+
DIÁLOGO - “Cerca de 20 comerciantes foram retirados de seus pontos de trabalho e, há uma semana, não conseguem vender frutas e verduras.” Foto: Nando Chiappetta

DIÁLOGO – “Cerca de 20 comerciantes foram retirados de seus pontos de trabalho e, há uma semana, não conseguem vender frutas e verduras.” Foto: Nando Chiappetta

Titular do mandato coletivo Juntas (PSOL), a deputada Jô Cavalcanti pediu à Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife, a realocação dos feirantes retirados do Beco da Colônia, no Centro. No pronunciamento, feito na Reunião Plenária desta quinta (28), ela afirmou que a gestão municipal não tem apresentado soluções concretas, tampouco demonstra sensibilidade pela situação dos trabalhadores.

“São cerca de 20 comerciantes, apenas, que foram retirados dos seus pontos de trabalho e, há uma semana, não conseguem vender frutas e verduras. Eles só pedem que a Prefeitura tenha um diálogo, abra a negociação”, disse. “Estamos em pleno dezembro. Enquanto alguns têm direito a 13º salário e farão uma ceia farta, essas pessoas passam fome. Onde está a solidariedade com estes trabalhadores?”, prosseguiu. A deputada registrou, ainda, que o Ministério Público estadual deu prazo de sete dias para o município encontrar outro espaço para os comerciantes.

Jô criticou, ainda, a “criminalização e marginalização do comércio informal” num contexto em que, diante do desemprego, cada vez mais uma pessoas recorrem à atividade para se sustentar. “O País não viabiliza empregos para a população e as prefeituras tiram o direito de trabalhar. Quem está no comércio informal passa o dia com medo. A gente pede que, no Estado todo, exista uma política que garanta os direitos desses trabalhadores”, pontuou.