Protesto por pavimentação da PE-425 repercute na Reunião Plenária

Em 13/03/2018 - 18:03
-A A+
RODRIGO NOVAES - “Apesar de ter sido dada a ordem de serviço no primeiro ano do Governo Paulo Câmara, houve atrasos e problemas na execução da obra.” Foto: Jarbas Araújo

RODRIGO NOVAES – “Apesar de ter sido dada a ordem de serviço no primeiro ano do Governo Paulo Câmara, houve atrasos e problemas na execução da obra.” Foto: Jarbas Araújo

A presença nas galerias da Assembleia Legislativa de um grupo de pessoas com faixas pedindo a pavimentação da rodovia PE-425, que liga Floresta a Carnaubeira da Penha, no Sertão de Itaparica, repercutiu em pronunciamentos de parlamentares na Reunião Plenária desta terça (13). O fato foi relacionado ao episódio ocorrido pela manhã, quando o secretário estadual de Transportes em exercício, Antônio Júnior, retirou-se de uma audiência pública da Comissão de Agricultura.

No Pequeno Expediente, Odacy Amorim (PT) foi o primeiro a saudar os manifestantes: “A população busca uma estrada de qualidade, que possa garantir o direito de ir e vir. Estou ao lado dos que fazem esse protesto e espero que o pleito seja logo atendido”, ressaltou. Socorro Pimentel (PSL) também manifestou solidariedade. “Registro a quem nos assiste das galerias o desrespeito com que o secretário Sebastião Oliveira agiu para com esta Casa”, afirmou.

Em discurso no Grande Expediente, Rodrigo Novaes (PSD) enfatizou que a recuperação da PE-425 é um sonho antigo de toda a população. “Apesar de ter sido dada a ordem de serviço no primeiro ano do Governo Paulo Câmara, houve atrasos e problemas na execução. Não posso admitir obra mal feita, inconclusa. Hoje não há nenhuma máquina trabalhando na rodovia”, disse.

Vice-líder do Governo, Novaes voltou a criticar o secretário estadual de Transportes em exercício, Antônio Júnior, por se retirar da audiência pública, e o secretário Sebastião Oliveira. “Existe uma desatenção completa e absoluta, ele [Oliveira] simplesmente não recebe os deputados. Fica aqui nosso protesto e a solidariedade ao povo de Carnaubeira da Penha”, frisou, recebendo o apoio de outros deputados.

Em aparte, Augusto César (PTB) pediu desculpas “aos companheiros que vieram de Carnaubeira da Penha e presenciaram o secretário se retirar sem dar uma explicação sequer”. Jadeval de Lima (PDT) e Claudiano Martins Filho (PP) reclamaram por não serem atendidos pelo titular da pasta, e Eriberto Medeiros (PTC) registrou que as reclamações partem até de parlamentares da base do Governo na Alepe.

HENRIQUE QUEIROZ - “Paralisação na obra da PE-425 foi necessária, devido a problemas constatados em fiscalização do serviço.” Foto: Jarbas Araújo

HENRIQUE QUEIROZ – “Paralisação na obra da PE-425 foi necessária, devido a problemas constatados em fiscalização do serviço.” Foto: Jarbas Araújo

Em pronunciamento no Grande Expediente, Henrique Queiroz (PR) afirmou que o secretário Antônio Júnior foi “humilhado” e “convidado a se retirar” da audiência, pois os deputados não se dispuseram a ouvi-lo e desejavam sabatinar Sebastião Oliveira. “Ele havia trazido uma pasta com o relatório do que a secretaria pretende fazer, as ações solicitadas, e foi impedido de fazer os esclarecimentos”, asseverou o líder do PR. De acordo com ele, a paralisação na obra da PE-425 foi necessária, devido a problemas na execução constatados em fiscalização do serviço.

O deputado Rogério Leão (PR) reforçou que Antônio Júnior tinha todas as condições de responder às indagações dos deputados. Segundo ele, “ainda assim, o vice-líder do Governo fez o encaminhamento para que o titular da pasta participe de nova audiência”. “Ou seja, essa reunião foi uma farsa. Não tem sentido fazer uma coisa e, daqui a dez dias, tudo novamente”, disse Leão, assegurando que a obra na PE-425 será retomada.