Isaltino Nascimento critica iniciativa para privatização do sistema elétrico

Em 13/03/2018 - 18:03
-A A+

MANIFESTO – Parlamentar leu manifesto elaborado pela Federação Regional dos Urbanitários do Nordeste. Foto: Jarbas Araújo

A possível instalação da Comissão Especial para analisar a privatização do sistema Eletrobras na Câmara dos Deputados foi crticada pelo deputado Isaltino Nascimento (PSB), na Reunião Plenária desta terça (13). A instalação da Comissão foi obstruída pela bancada de Oposição na Câmara Federal na semana passada, mas uma nova tentativa foi agendada para a tarde desta terça.

“A privatização do setor elétrico pode ter uma consequência muito forte para o consumidor comum, que paga a conta de energia, e  mais ainda para o parque produtivo brasileiro”, considerou o parlamentar. O deputado lembrou que a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) completa 70 anos em 2018, e apresentou um manifesto que marcará o ato público contra a privatização do sistema,  a ser realizado na próxima quinta (15), em frente à sede da estatal, no Recife.

“A Chesf continua mostrando que sua relação com o Nordeste é um casamento que deu certo e mantém sua chama acesa, mesmo ameaçada por uma tentativa irracional de privatização”, diz o manifesto lido pelo deputado, elaborado pela Federação Regional dos Urbanitários do Nordeste (Frune) e seus sindicatos estaduais afiliados.

Segundo o texto, a Chesf não tem dívida significativa, por ter quitado seus débitos com a holding (empresa principal da qual é subsidiária) Eletrobras, no ano passado. “Com a perspectiva de sua privatização, o planejamento financeiro da Chesf para os próximos cinco anos prevê o pagamento de cerca de R$ 4 bilhões em dividendos para a Eletrobras – dinheiro que deixará de ser investido no Nordeste.”