Antônio Moraes alerta para “privilégios” na Casa da Moeda

Em 13/09/2017 - 17:09
-A A+

CRÍTICA – Segundo o deputado, instituição gasta R$ 8 milhões por ano com 64 profissionais, entre médicos, fisioterapeutas e psicólogos. Foto: Roberto Soares

A possibilidade de privatização da Casa da Moeda, anunciada recentemente pelo Governo Federal, ganhou repercussão no discurso do deputado Antônio Moraes (PSDB). Durante a Reunião Plenária desta quarta (13), o parlamentar defendeu uma análise mais consistente e aprofundada do tema antes de se criticar tal decisão política, já que haveria “muitos privilégios” envolvendo os funcionários da instituição.

O parlamentar usou como exemplo os dados divulgados pelo jornal O Estado de S. Paulo a respeito de um contrato de prestação de serviços de saúde pago pela Casa da Moeda para atender seus 2700 servidores. Segundo Moraes, a instituição gasta R$ 8 milhões por ano com uma estrutura de 64 profissionais, entre médicos, fisioterapeutas e psicólogos. “No momento de dificuldade financeira que estamos vivendo, não podemos cortar apenas benefícios dos pobres, mas acabar com privilégios como esse”, defendeu o parlamentar.